Morro Nhaguaçu..JPG

Guarulhos 

História Natural  

Os vulcões, rochas, rios, florestas e animais fazem parte da História Natural. Conhecer essa parte da história do Planeta Terra nos permite conhecer suas expressões contemporâneas e seu vínculo com a história cultural, econômica, religiosa, ambiental e paisagística do município de Guarulhos.

Uma Partícula Chamada Guarulhos

O território guarulhense é uma fração do Planeta Terra, o que significa que sua história começa aproximadamente há 4.6 bilhões de anos. Seus aspectos naturais são belíssimos e, também, antiquíssimos. No Planalto Guarulhense, constituído pelas Serras da Cantareira, Bananal, Itaberaba e no Morro Nhanguaçu, são encontrados exemplares de rochas cristalinas - as mais antigas, do período Pré-Cambriano - e, nas planícies e colinas do município, é possível avistar rochas sedimentares, mais jovens, assentadas sobre camadas de rochas cristalinas. 

2. Mapa de Guarulhos. Em destaque, as Se
3. Rocha granitica do Bairo dos Pimentas

Rochas Cristalinas e Sedimentares

Você sabia que 85% da idade do Planeta Terra corresponde ao período Pré-Cambriano? Nessa fase iniciou-se a movimentação das placas tectônicas, o começo da vida terrestre e, também, o aparecimento das primeiras células eucarióticas. Em meio à efervescência da natureza, dois tipos de rochas são muito importantes para a história natural e sociocultural da cidade. 

As Rochas Cristalinas, mais antigas, são encontradas na porção Norte do Município – relevos montanhosos, serras, morros e morrotes. Formam o Planalto Guarulhense, correspondente à Serra da Cantareira, Bananal, Itaberaba e Morro Nhanguaçu, onde estão localizados os atuais bairros do Cabuçu, Tanque Grande, Morros, parte da Vila Rio (Taboão e São João), Invernada, Bananal, Fortaleza, Mato das Cobras, Capelinha, Água Azul e Morro Grande. 

4. Minério de Ferro. Birro Tanque Grande
5. Fragmento de rocha sedimentar do anti

As Rochas Sedimentares, mais jovens, são encontradas na porção Sul – planícies e colinas do município. Estão assentadas sobre a camada de Rochas Cristalinas antigas (metamórficas - vulcânicas-ígneas) nos bairros próximos aos leitos do rio Tietê, Cabuçu e Baquirivu-Guaçu, sendo eles: Vila Galvão, Picanço, Maia, Ponte Grande, Cumbica, Pimentas, Bonsucesso, Aeroporto, Centro, Cocaia, Macedo, CECAP, Vila Barros, Aracília, entre outros. 

Formação do Planalto e Planície Guarulhense  

No passado, o processo de subducção, isto é, de afundamento de uma placa tectônica sob outra, fez com que parte da região da cidade afundasse e que as bordas da placa se erguessem. O resultado disso foi a formação do Planalto e da Planície. Na porção norte da placa estão localizadas as Serras da Cantareira, do Itaberaba e Mantiqueira, na outra ponta, a Serra do Mar. No meio, a parte mais plana, residem as várzeas dos rios Tietê, Baquirivu-Guaçu e Cabuçu

6. Serra do Itaberaba, Pico do Gil. O ma
7. Rocha de quartzo, Lavra do Geraldo, B

Guarulhos teve Vulcões, Terremotos e Mar     

Pesquisas afirmam que o território guarulhense já foi coberto por um oceano de pouca profundidade, o Adamastor Ocean, coexistindo vulcões e terremotos. Erupções vulcânicas do período foram responsáveis por trazer o ouro do núcleo interno da Terra até a crosta terrestre, agregado a um mineral denominado quartzo aurífero, que pode ser visto ainda hoje no bairro Capelinha (Lavras do Geraldo). No bairro Tanque Grande é possível avistar rochas de fundo oceânico

 Falha do Jaguari

Uma evidência explícita de terremoto no território guarulhense é a Falha do Jaguari. Falhas Geológicas representam uma ruptura, isto é, a separação de um bloco de rochas provocado pelo deslocamento de suas partes. Isso acontece devido ao acúmulo de energia no interior da Terra, que é liberada por meio de terremoto. 

8. Rocha de fundo oceânico, Bairro Tanqu
9. Marundito do Pico Pelado.JPG

Guarulhos já foi "Colada" a África do Sul 

O Marundito, rocha raríssima existente no Cabuçu e na África do Sul, pode ser um elo da história natural entre Guarulhos e África. Acredita-se que durante a existência do supercontinente Pangeia (há 225 e 200 milhões de anos) o território guarulhense unia-se à África do Sul. A separação dos continentes Americano e Africano aconteceu há 135 milhões de anos.